4-8-atividade-fisica-e-enxaqueca-mente-tranquila-e-reducao-nas-crises

Se você é uma daquelas pessoas que arranjam qualquer tipo de desculpa para não praticar atividade física, temos um grande estímulo para te encorajar: exercício pode ser um aliado poderoso contra a enxaqueca.1 Durante a prática de qualquer atividade, o corpo libera endorfina, que atua como uma espécie de analgésico natural, fabricado pelo próprio organismo.1

Para sentir os benefícios da atividade física, porém, é preciso que haja disciplina: sessões de pelo menos 40 minutos, três vezes por semana, agem como uma espécie de tratamento preventivo, diminuindo tanto a frequência quanto a intensidade das crises.1

Há pacientes, porém, que relatam ter enxaqueca durante a prática de atividade física. Ainda assim, não desista dos exercícios. É preciso buscar especialistas e desenvolver um planejamento específico para que as dores não apareçam.2

Cinco passos para que a prática de exercícios traga resultados positivos

  • Cuide da hidratação antes, durante e depois da prática de atividade física. Perceba se sua boca não está ficando excessivamente seca e você suando demais, sinal de grande perda de líquidos. Desidratação é um fator importante para disparar crises de enxaqueca.1,3
  • Coma algo leve cerca de uma hora antes dos exercícios. Durante a prática, nosso nível de glicose no sangue diminui, então é importante garantir uma boa fonte de energia. Barras de proteínas e amêndoas ou castanhas são bons “lanchinhos” para antes das atividades.1
  • Aquecimento é outra parte fundamental para atividade física em pacientes de enxaqueca. Não comece a pular ou se movimentar de repente, sem antes preparar o corpo para o esforço ao qual ele será submetido. Um exemplo: caminhada leve durante 5 minutos.1
  • Se você não tem o hábito de praticar exercícios, inicie com cuidado e de forma leve. Aumente a carga, duração ou intensidade conforme for se habituando à atividade. De forma geral, os benefícios começam a ser percebidos em cerca de seis semanas.2
  • Respeite seu corpo, perceba as respostas que ele lhe oferece.2

Essas dicas, são importantes também para quem não tem enxaqueca e buscam minimizar o risco de dores de cabeça durante a atividade. Somam-se a elas medidas importantes para qualquer pessoa que vá se exercitar: avaliação médica, orientação de profissionais especializados e uso de roupas e tênis adequados. Se sentir algum desconforto, interrompa imediatamente a prática.2

Além dos exercícios tradicionais, práticas como ioga, tai chi chuan e meditação podem ser benéficas para a sensação de bem-estar e para aliviar sintomas de estresse, que também podem deflagrar novas crises de enxaqueca.3


Referências

1. American Migraine Foundation. Effects of exercise on headaches and migraines. Disponível em: https://americanmigrainefoundation.org/resource-library/effects-of-exercise-on-headaches-and-migraines/ Acesso em agosto de 2019.
2. The Migraine Trust. Exercise. Disponível em: https://www.migrainetrust.org/living-with-migraine/coping-managing/exercise/ Acesso em agosto de 2019.
3. American Migraine Foundation. Top 10 migraine triggers and how to deal with them. Disponível em: https://americanmigrainefoundation.org/understanding-migraine/top-10-migraine-triggers-and-how-to-deal-with-them/ Acesso em agosto de 2019.