enxaqueca-a-vila-da-familia
Share

Filhos de pacientes com enxaqueca têm mais dores de cabeça e desempenho escolar afetado

Você já deve ter ouvido aquele ditado “não vale a dor de cabeça”. Mas como enxaqueca é muito mais do que uma forte dor de cabeça, pensar nos impactos familiares da doença é o primeiro passo para fortalecer as relações com quem a gente mais ama. A enxaqueca não é um problema individual, como pode parecer. Ela afeta quem está ao redor do paciente, principalmente a família. Mais da metade dos pacientes acreditam que as crises impactam suas famílias.1

A dificuldade de concentração em atividades escolares é um problema para mais de um terço (35,3%) das crianças e adolescentes que têm pais vítimas de enxaqueca. Entre filhos de pais sem a doença, este índice é de 16,4%. A falta de assistência decorrente dela é gritante: quase metade dos filhos de pais que sofrem com crises deixam de ter algum tipo de ajuda – 48,2%. O número cai para 26,4% nos outros grupos.2

A verdade é que a enxaqueca pode, sim, impactar o ambiente familiar, principalmente quando não são tomadas providências que podem minimizar a incidência das crises. Embora dores de cabeça por si só não sejam contagiosas, mais de 60% dos adolescentes que têm pais com enxaqueca costumam também ter episódios de dor de cabeça, em comparação com 48,4% dos demais.2

Ações para dias sem crise

Medidas simples podem ser tomadas para tentar reverter o quadro. E podem parecer óbvias, porque de fato são. Cada dia sem enxaqueca é um dia de liberdade. E liberdade é a palavra-chave para ser usada neste caso.

O paciente pode, finalmente, dedicar toda a atenção às suas tarefas que são limitadas pelos momentos de dor. Os filhos são peça-chave e precisam perceber que têm os pais disponíveis quando a crise não está instalada.3 Atenção aos estudos, à educação e ao carinho. Na vida conjugal, dar mais atenção ao parceiro ou à parceira como é impossível fazer durante as crises.

Pensar naquele dia como único e vivê-lo com intensidade. Respirar, olhar ao redor e aproveitar o momento. É importante jamais esquecer: um dia sem enxaqueca é um dia de liberdade.


Referências

1. Migraine.com. Migraine and Social Life. Disponível em: https://migraine.com/living-with-migraine/migraines-and-social-life/ Acesso em outubro de 2018.
2. Adams AM, Serrano D, Buse DC, et al. The impact of chronic migraine: The Chronic Migraine Epidemiology and Outcomes (CaMEO) Study methods and baseline results. Cephalalgia. 2015;35(7):563-578. doi:10.1177/0333102414552532.
3. Cottrell CK, Drew JB, Waller SE, Holroyd KA, Brose JA, O’Donnell FJ. Perceptions and needs of patients with migraine: a focus group study. J Fam Pract. 2002;51(2):142-7.

Share