1-8-enxaqueca--repare-se-para-consulta-com -neurologista

O primeiro passo para quem sofre com constantes crises de dor de cabeça é entender qual o seu diagnóstico e o acompanhamento adequado com um neurologista é fundamental, até porque o cenário de cada paciente é individual.1 Mais da metade dos adultos com a doença não tiveram um diagnóstico correto e, portanto, não são tratados.1 É importante saber que o acompanhamento médico tem como objetivo garantir uma vida normal ao paciente, uma felicidade possível de alcançar.

Para o tratamento funcionar, permitindo que o paciente tenha uma vida mais próxima possível do normal, a construção precisa ser feita de ambos os lados. O neurologista faz a parte dele, mas é preciso que o paciente também ajude.2 Como ajudar o médico? O primeiro passo é levar informações detalhadas para as consultas.

Faça um diário da enxaqueca

Todo paciente deve fazer um diário da enxaqueca.3 Nele, devem ser registrados detalhes da rotina e do dia a dia. Quais foram as refeições, se teve momentos de estresse – e o que gerou cada um deles – quando começaram as crises, quando tempo duraram. Quanta água bebeu em cada dia, quantas horas dormiu e como foi o sono. É importante detalhar ao máximo – isso ajudará o neurologista (e o próprio paciente) a perceber padrões que provocam as dores de cabeça. As informações serão úteis para que o médico busque tornar o tratamento mais efetivo.4

O diário não precisa necessariamente ser de papel. Hoje existem aplicativos como o Migraine Buddy, desenvolvido pela Healint Pt.*, que propõe o acompanhamento digital dos registros de sintomas, datas e duração das crises, intensidade e localização da dor, ingestão de medicamentos, padrões de sono e impactos na vida de quem convive com frequentes e intensas dores de cabeça. A meta é identificar gatilhos, como noites mal dormidas, condições climáticas, alimentos, fases do ciclo menstrual, entre outros fatores.5

Algumas perguntas que o médico poderá fazer

O neurologista faz perguntas ao paciente buscando coletar informações para chegar a um diagnóstico mais preciso. Então, o melhor é ir para a consulta com as respostas em mãos.2

  • Há quanto tempo você tem as crises de dor de cabeça?
  • Com que frequência elas ocorrem?
  • Quais outros sintomas você sente?
  • Já identificou gatilhos para as crises, o que as provoca?
  • Já sofreu lesões na cabeça? Como e quando aconteceu?
  • Descreva a dor (região da cabeça e intensidade).
  • Alguma coisa mudou na rotina antes das crises começarem?
  • Está tomando algum tipo de medicação por conta própria?
  • Alguém muito próximo na família tem enxaqueca?

Procure se informar ao máximo e dar muita informação

Na consulta, sempre procure extrair do médico o máximo de informação. Não fique com receio de perguntar nem vá pra casa com dúvidas. Um paciente bem instruído é bom para neurologista também. E conhecimento evita ansiedade ou preocupações desnecessárias. Leve anotadas suas perguntas para que não deixe o consultório sem ter as dúvidas respondidas.6

Durante o tratamento, lembre-se de ter atenção à eficácia dos medicamentos e observar os possíveis efeitos colaterais. Trabalhando em parceria com o neurologista e desenvolvendo uma estratégia organizada para tratar a enxaqueca, você pode reduzir as crises de dor de cabeça e o impacto delas na sua vida familiar e profissional.6

*Ao instalar o Migraine Buddy, você aceitará os termos da Healint Pt. A Novartis é a parceira preferencial da Healing Pt., que é proprietária, desenvolveu e administra de forma independente o aplicativo.


Referências

1. Migraine Research Foundation. What is migraine? Disponível em: http://migraineresearchfoundation.org/about-migraine/what-is-migraine/ Acesso em junho de 2019.
2. Migraine.com. Migraine headaches doctors. Disponível em: https://migraine.com/migraine-headaches-doctors/ Acesso em junho de 2019.
3. The Migraine Trust. Keeping a Migraine Diary. Disponível em: https://www.migrainetrust.org/living-with-migraine/coping-managing/keeping-a-migraine-diary/ Acesso em junho de 2019.
4. Stanford Health Care. Headache Diary. Disponível em: https://stanfordhealthcare.org/medical-conditions/brain-and-nerves/headache/diagnosis/headache-diary.html Acesso em junho de 2019.
5. Migraine Buddy. Disponível em: https://migrainebuddy.com/ Acesso em junho de 2019.
6. American Migraine Foundation. How to Talk to Your Practitioner about Your Headaches. Disponível em: https://americanmigrainefoundation.org/understanding-migraine/how-to-talk-to-your-practitioner-about-your-headaches/ Acesso em junho de 2019.